/ Acontece na Kino | Com a Kino é mais fácil | Fiscal

10 Erros e Dúvidas na Hora de Declarar o Imposto de Renda

A sete dias do prazo final para entregar a declaração anual do Imposto de Renda, que neste ano termina no dia 28/04, muita gente ainda não preencheu a sua declaração. Se você faz parte desse grupo, listamos abaixo os 10 erros e dúvidas mais comuns aos contribuintes na hora de declarar o Imposto de Renda. Na dúvida, consulte um contador e evite cair na malha fina.

Valores errados

É importante conferir o local correto de preenchimento dos valores das informações prestadas e tomar cuidado para não digitar algo errado. Deve-se lembrar sempre dos centavos e não esquecer nenhum número. Um erro muito comum é a falta de digitação da vírgula, como por exemplo: ao lançar um saldo de uma conta corrente de R$ 10.000,00, o contribuinte digita o valor sem a vírgula e então o programa lança R$ 100.000,00. Um erro simples, mas que gera muito transtorno.

Salário de emprego antigo

Se o contribuinte trocou de emprego em 2016, ele deve buscar junto ao antigo empregador o comprovante de rendimentos. Profissional liberal, com mais de uma fonte de renda, tem de lançar em sua declaração de imposto de renda todas elas. O contribuinte está sujeito a cair na malha fina pela falta de declaração de alguma fonte de renda.

Aluguel

O recebimento de aluguel é um rendimento tributável, sim, e quem recebe tem de registrar esse valor na sua declaração de imposto de renda. Aqui tem uma diferença: se o inquilino for pessoa física, o recolhimento deve ser feito mensalmente com o carnê-leão; se for pessoa jurídica, a tributação é na fonte. Mesmo quem não faz o carnê-leão mensal deve declarar agora na declaração de ajuste anual. É importante observar que rendimentos pagos por Pessoa Jurídica e rendimentos pagos por Pessoa Física são declarados em abas separadas no programa do imposto de renda.

Variação Patrimonial

Uma dica importante: o seu aumento patrimonial na aba Bens e Direitos, bem como o total de dívidas pagas no ano, devem ser cobertos pelos rendimentos totais do contribuinte, caso contrário, o risco de cair na malha fina por suspeita de sonegação é muito alto. Fique atento.

Renda de dependente

Se você tem algum dependente na sua declaração, não basta informar o nome dele na aba dependente e suas despesas. Se ele tem alguma fonte de renda é preciso informá-las. Bolsas e pensões recebidas por dependente devem ser declaradas, pois são consideradas salários. Aqui é importante avaliar se vale mesmo a pena manter um filho como dependente se ele tiver renda própria, mesmo que de uma pensão.

Pensão alimentícia

Sim, o recebimento de pensão é um rendimento tributável e quem recebe deve declarar como tal. Já quem paga o valor acordado judicialmente pode deduzir até 100% do valor da renda tributável.

Despesas médicas

É preciso tomar cuidado neste item e informar os valores corretos, tanto do contribuinte, como do dependente legal. Vale lembrar que compras de remédios não entram na declaração. Muitos contribuintes adoram comprar recibos médicos para reduzir o seu imposto. Fique atento, pois essa é uma situação que a Receita Federal fiscaliza muito. Não corra esse risco.

Despesas com educação

O importante aqui é saber quais despesas podem ser incluídas. A declaração só pode ser feita com gastos de mensalidades dos ensinos infantil, fundamental, médio e superior (graduação, pós-graduação, mestrado e doutorado); e cursos técnico e tecnológico. Tudo com limite de R$ 3.561,50 por pessoa/ano. Cursos de idiomas, preparatórios e extracurriculares não devem ser incluídos na declaração de IR, pois não são dedutíveis.

Previdência

Aqui, uma pegadinha: não se deve declarar os planos de previdência complementar da modalidade VGBL como dedutíveis; somente o PGBL pode ser declarado para dedução e o limite é de 12% do rendimento tributável declarado no Imposto de Renda.

Contribuinte em duas declarações

Quando mais de uma pessoa paga as despesas de um dependente (filhos, pais etc), deve-se definir quem vai lançar essas despesas na declaração de IR. Um mesmo dependente não pode estar registrado em declarações de diferentes contribuintes.

A declaração de Imposto de Renda deve ser feita pelo aplicativo da Receita Federal até o dia 28 de abril por pessoas que tiveram rendimentos tributáveis em 2016 superior a R$ 28.559,70. No caso de rendimentos isentos ou tributados exclusivamente na fonte, esse valor passa a ser para quem teve mais de R$ 40 mil de renda.

Para saber quem é obrigado a declarar e quem é isento, basta clicar aqui . E para mais informações sobre o Imposto de Renda 2017 é só acessar o site da Receita .Confira também a tabela de incidência de imposto de renda de 2017, que é a mesma utilizada no ano de 2016.

Se continua com dúvida de como fazer sua declaração, sugerimos procurar um contador, que é a pessoa mais indicada para te orientar. A equipe de suporte ao cliente da Kino está preparada para te orientar.

 


Sobre o Autor
Felipe Drummond